Ou a mão já aparece separada de um corpo ou um dos personagens tem sua mão decepada. No caso de “Uma Noite Alucinante” é o próprio protagonista que comete o ato de “secessão”. Não se enganem, a lista de filmes com “mãos sem corpo” é muito grande, escolhi apenas alguns filmes que me parecem legais.

O Anjo Exterminador (1962)

     Esse é um clássico! Em 1962, Luis Buñuel, o cineasta espanhol que deu boa fama ao surrealismo, lançou esse filme no qual um grupo de pessoas convidadas para um jantar, se veem presas na casa, sem saber se algum dia lhes será dada a possibilidade de saírem de lá e voltarem para suas vidas normais. Enquanto esperam e se desesperam, é mostrado o quanto eles são idiossincráticos e estranhos.

     Mas vamos ao que interessa, nesse filme também aparece uma mão andando por aí, sem rumo e sem origem definida. Engraçado aparecer essa mão, já que o filme, apesar de surrealista, tenta, ao máximo, criar o surrealismo através de elementos razoavelmente realistas, sem nunca cortar totalmente nosso senso de realidade. E é isso que faz com que ele seja tão bom, a exposição do comportamento dos personagens é mais importante do que ficar mostrando esquisitices arbitrárias, só para ser diferente.

A Mão (1981)

      Oliver Stone dirige aqui um filme de terror de baixo orçamento (se não for de baixo orçamento, eles fizeram força para que parecesse ser) onde  Michael Caine, depois de um acidente onde tem a mão decepada (e parece se esvair em sangue quase como se tivesse uma torneira alucinante saindo de seu corpo), passa a ser perseguido pela sua própria mão. Como consequência, ele vai enlouquecendo lentamente.

     À medida que a mão começa a matar pessoas, Michael Caine faz força para não passar vexame nesse filme e, na minha opinião, ele mostra aqui, mais do que nos dramas que fez, como ele é bom ator. Sem ele, “A Mão” mergulharia no ridículo. Aliás, o elenco desse filme não faz feio para o que deveria ser um “filme B”. O fato de às vezes haver humor involuntário não é ruim, já que nos dá a impressão de que o filme não se leva a sério demais.

Uma Noite Alucinante (1987)

     Uma refilmagem alucinada e cômica do primeiro “A Morte do Demônio”, “Uma Noite Alucinante”, que deveria ter se chamado “A Morte do Demônio 2”, é um dos momentos máximos de Sam Raimi, que depois se lançou a fazer filmes do “Homem-Aranha” (nada contra, mas gostava mais dele nessa época). A história é muito simples, apenas um sujeito que vai para uma cabana na floresta e, sem querer, invoca espíritos do mal, sofrendo, pelo resto do filme, as consequências desse ato impensado.

     Mas e a mão? Bem, num determinado momento, no filme, Ash, o herói de araque, sofre um ataque de sua própria mão. Ela se rebela como uma mão se rebelaria num filme dos 3 patetas, só que com muita violência (bem, nos 3 patetas também há muita violência). E, o sujeito, para acabar com o problema, pega uma serra elétrica e corta a membro fora. Mesmo decepada, a mão faz das suas, atazanando-o fora de seu corpo.

A Família Addams (1991)

     Quem não conhece a “mãozinha” da Família Addams? Ela também da as suas caras – uma expressão infeliz – nesse primeiro filme – do que virou uma série de longas – no cinema. A história segue basicamente dois trapaceiros que querem dar o golpe nos Addams fingindo que o tio Chico, que está desaparecido, voltou. A trapaça servirá para que eles possam dilapidar o patrimônio da família.

     Acho que um dos destaques dessa versão é a escolha dos atores. Raul Julia, Angelica Houston, Christopher Lloyd, Christina Ricci e  Jimmy Workman realmente estão muito bem encarnando esses personagens já clássicos. Talvez o filme não tenha tantas piadas ou cause tantas risadas quanto se espera de uma comédia, mas a trama entretém o bastante para que você consiga ter alguns momentos de diversão sem culpa.

     Conhece outro filme em que uma mão fique andando por aí, sem dono ou o protagonista tenha que “dizer adeus” para seu próprio membro? Então me dê uma “mão” e comente!

Anúncios