Gene Wilder faleceu no ano passado e, nos anos 60, 70 e 80, fez parte do imaginário do público que ia ao cinema para ver as comédias de Mel Brooks ou dos telespectadores que assistiam suas comédias na “Sessão da Tarde”, reprisadas ad eternum. Para ser mais fácil a escolha dos filmes, só coloquei aqueles nos quais Wilder era o protagonista. Alguns filmes engraçados ficaram fora dessa lista, infelizmente, por falta de espaço. São eles: “Tudo o Que Você Queria Saber Sobre Sexo e Tinha Medo de Perguntar” (1972), “O Expresso de Chicago” (1976), “A Dama de Vermelho” (1984) e “Cegos, Surdos e Loucos” (1989).

Primavera para Hitler (1967)

     Max Bialystock estão tão mal das pernas que precisa flertar com velhas damas da sociedade para financiar suas produções. Quando Leo Bloom, seu contador, analisa seus livros contábeis, os dois chegam a conclusão que o único jeito de fazerem fortuna é produzirem um espetáculo que seja um desastre retumbante. Para isso, criam uma peça que, na cabeça deles, será uma catástrofe: “Primavera para Hitler”. Mas a coisa não sai do jeito que eles imaginavam.

     Pouco mais de vinte anos depois do final da Segunda Guerra Mundial, “Primavera para Hitler” já entrou com os dois pés no peito do tabu que é falar sobre Hitler, principalmente de forma engraçada, para causar humor. Se isso não é o bastante, pode passar para o próximo filme.

A Fantástica Fábrica de Chocolate (1971)

     Willy Wonka, o dono da Fantástica Fábrica de Chocolate, anuncia que cinco pessoas poderão fazer um tour pela sua fábrica, para que possam conhecer os segredos dela e participar de uma competição: o vencedor será agraciado com um suprimento vitalício de chocolates da fábrica.

     Charlie, um garoto pobre, consegue ser uma das 5 pessoas a fazer o tour. O problema é que pequenos desastres atingem as crianças, e Charlie tem que lutar para conseguir o prêmio. Bem, o filme se tornou “cult” com o tempo e a mistura que faz entre toda a loucura e fantasia que possui com a atuação sensível e ambígua de Gene vale a visita.

Banzé no Oeste (1974)

     Hedley Lamar que expulsar todos de uma cidadezinha que está no caminho da ferrovia que ele está construindo. Para isso, manda seus capangas tornarem a cidade um inferno. Depois que o xerife da cidade é morto, Hedley sugere ao governador um xerife negro, só para ter certeza que nada será resolvido.

     Bart, o primeiro xerife negro do oeste, então, tenta resolver o problema da cidade ao mesmo tempo em que é ajudado por um pistoleiro chamado Jim. Na época criticado por suas piadas, que eram consideradas vulgares, Mel Brooks (o diretor), hoje em dia, faz rir pelo que é eterno no seu filme, a irreverência.

O Jovem Frankenstein (1974)

     Frederick Frankenstein, o neto do Dr. Victor Von Frankenstein, herda o castelo de seu antepassado. Lá, encontra um criado, Igor e uma assistente chamada Inga. Frederick acha que o trabalho de Victor era uma perda de tempo, mas quando percebe que suas experiências foram reais e que ele pode seguir os passos de Victor, muda de ideia.

      Para mim, o melhor filme de Mel Brooks como diretor e de Gene Wilder como ator e roteirista, virando de cabeça para baixo o mito do Frankenstein. Há um cuidado extremo na direção de arte e da fotografia para nos colocar em algo que pareça um filme de terror dos anos 30, para que depois tudo seja desmontado através de piadas demolidoras.

Loucos de Dar Nó (1980)

     Skip e Harry se mudam para o Arizona e são injustamente incriminados em um roubo, sendo mandados para uma prisão do oeste americano. Esses dois novaiorquinos acabam sentindo uma enorme dificuldade de se adaptar à nova vida até que o diretor do presídio descobre que Skip tem um talento natural para peão de boiadeiro e coloca-o em um campeonato. Skip e Harry vão usar isso para empreenderem uma fuga.

     Esse é o campeão da “Sessão da Tarde”. Deve ter passado mais vezes que os episódios do “Chaves” no SBT (estou brincando, essa façanha é impossível de alcançar). É o arquétipo do filme “despretensioso”, que se você pegar de repente passando na TV, pode ficar até o final, só para ver Gene e Richard Pryor fazendo graça.

     Tiraria um destes 5 e colocaria outro? Me diga qual nos comentários!

Anúncios